Tinto com 150 anos de história

Joao Paulo Martins

“Das areias até às pedras ou da planície até à serra. Assim se pode definir a zona produtora que conhecemos como Setúbal. São as areias de Palmela e do Poceirão (onde no século XIX existia a maior vinha contínua do mundo) e as serranias da serra da Arrábida em cujas encostas, protegidas dos ventos marítimos, se produzem excelentes vinhos e também moscatéis. A paisagem vitícola desta região, ao contrário de outras, mudou muito nos últimos 30 anos: a casta dominante Castelão perdeu protagonismo (tinta) e muitas outras vieram fazer-lhe companhia; nos brancos aconteceu algo idêntico embora a moscatel continue a ser, por via da produção do generoso, uma variedade de enorme importância. Muitos produtores optam por juntar a Castelão num lote com outras variedades, indo assim ao encontro das tendências do gosto actual, de que o Periquita Reserva é um bom exemplo.”