Skip to content

Madeira com aroma tropical

Joao Paulo Martins

A ilha da Madeira tem uma vegetação luxuriante e uma parte da ilha está ainda repleta de árvores centenárias, quem sabe se algumas delas não estavam já lá quando os portugueses começaram a povoar a ilha. A Laurisilva lá está para ser vista e admirada, com as suas características levadas que têm tanto de perigo como de atracção. A ilha é também berço de uma variedade grande de frutas que associamos sempre a países tropicais. Uma visita ao Mercados dos Lavradores, no Funchal, faz-nos perceber que por ali há flora e frutas que nos eram desconhecidos. A ilha, historicamente falando, já conheceu vários ciclos económicos ligados a produtos diferentes. A vinha não foi a primeira opção dos povoadores mas acabou por ganhar dimensão e prestígio à conta dos vinhos originais ali produzidos. Tradicionalmente os vinhos eram generosos e embora continuem estes a ter a primazia, há hoje vários produtores empenhados em fazer vinhos brancos, rosés e tintos que procuram mostrar as aptidões das castas locais. Começou por acontecer isso com a casta Verdelho mas recentemente vários têm optado pela Tinta Negra, a variedade mais plantada na ilha. Com ela, que é tinta, há agora quem faça vinho branco, rosé e tinto. A viticultura não é fácil, a proximidade do mar é madrasta para as vinhas que ficam muito sujeitas às doenças da vinha mas, no final, conseguem-se vinhos bem interessantes, marcados pela maresia e pela frescura. São vinhos a conhecer.

Outros artigos de opinião