Skip to content

Arraiolos, vinhos e nozes

Joao Paulo Martins

“Muito antes de ser conhecida pelos vinhos, Arraiolos era a terra dos tapetes e das pessoas que os bordavam com paciência e saber. Com os novos ventos vínicos que sopraram nos finais do século passado, surgiram vários projectos com peso, inseridos em propriedades de grande dimensão. Um dos primeiros produtores da zona a ganhar projeção nacional foi precisamente a Herdade dos Coelheiros que, além de vinho, também se iniciou na produção de nozes, face às boas condições de terreno e clima para aquela produção. A zona revelou-se muito boa para a produção de vinho, quer branco quer tinto e dali esperamos sempre boas surpresas. A ligação das nozes com o vinho pode ter várias valências: uma ligação directa entre vinhos generosos e sobremesas, que incluem bolos com frutos secos, mas também numa versão um pouco mais radical, com toucinho do céu e nozes a acompanhar um tinto velho com 20 ou mais anos. Já os brancos, sobretudo se fermentados em madeira nova, ligarão muito bem com queijos amanteigados de Serpa.”

Outros artigos de opinião